3 de julho de 2014

Papeando com Ricardo Viveiros

Ele descobriu Como encontrar uma linda princesa e contou a linda história de O poeta e o passarinho. Com certeza, é alguém com quem você vai querer papear.

Ricardo Viveiros é carioca, mas mora em São Paulo desde 1976. Teve uma infância feliz, com tudo o que tinha direito: brincava na rua, andava de bicicleta, jogava bola, subia em árvores, ouvia música, namorava e não perdia uma aula sequer, porque aprender tudo sobre a vida era seu maior objetivo. Mas, apesar dessa boa vida que levou, tinha um detalhe que o deixava realmente feliz: ler livros e ouvir histórias dos mais velhos. Talvez, essa tenha sido a porta de entrada para o universo jornalístico e literário.

Viveiros já foi ator, professor, diretor de museu, palestrante e produtor artístico. Trabalhou em vários veículos da mídia e até conquistou prêmios (nacionais e internacionais!). No mundo literário, escreveu 23 livros para adultos, dos quais 5 são de poesia.

Enfim, o que ele gosta mesmo é de inventar histórias para contar aos seus filhos, netos e amigos. Vamos ver o que ele quer nos contar hoje?

 

Quem é Ricardo Viveiros?

Um escritor brasileiro que gosta de estar vivo, conhecer pessoas e contar historias. Que adora gente, bichos, natureza. Que acredita na liberdade como bem maior do ser humano.

O melhor lugar para o surgimento de riscos e rabiscos é…?

Na mente de cada um de nós, depois em qualquer papel ou suporte que não nos deixe esquecer para, mais tarde, servir de subsídio para o que criamos.

O melhor amigo criado por você?

Na verdade, são dois: “O poeta e o passarinho”, que estão no livro publicado pela Biruta.

Uma viagem inesquecível seria nas páginas de qual livro?

Todo livro traz a possibilidade de uma viagem inesquecível, entretanto nos identificamos mais com um. E é quando acontece essa viagem… Eu adoro o livro “Felpo Filva”, da Eva Furnari.

Qual é seu companheiro favorito de aventuras?

O livre pensar. A possibilidade de não fazer nada, imaginar muitas coisas, criar personagens capazes de realizar sonhos impossíveis.

Escrever um livro é…

Um desafio de grande responsabilidade. Um compromisso com você mesmo e com todas as demais pessoas. Requer liberdade com responsabilidade, equilíbrio entre o sonho e a realidade. Capacidade de fazer o próximo feliz.

Se não inventasse mundos e personagens, o que Ricardo faria?

Nada. E seria uma pessoa bem triste… Tenho muita paixão pelo que faço.

Por que livros para os pequeninos?

Porque não há limite nas cabeça das crianças. Para elas, tudo pode. Esse compromisso com a liberdade é fantástico!

Onde fica/o que você faz quando busca inspiração?

Qualquer coisa pode inspirar um escritor. O bom e o mau, o bonito e o feito, o certo e o errado. É da vida, dos conflitos gerados pelas dualidades que tiramos nossas histórias, contadas da maneira lúdica que as vemos.

A melhor página em branco é…

A que podemos colocar emoções. Despertar sonhos. Criar vida. Provocar a imaginação e fazer pensar.

 

O poeta e o passarinho

Como encontrar uma linda princesa3

 

 

 

Compartilhe ...

E deixe seu comentário!

Deixe uma resposta

Desenvolvido por Miguel Medeiros