13 de dezembro de 2012

Papeando com Luiz Antonio Aguiar

Sejam muito bem-vindos a mais uma seção superdivertida do nosso blog!
Aqui, vamos apresentar os autores e ilustradores que formam e transformam a nossa editora. Não se trata, porém, daquelas biografias que todo mundo conhece, não; aqui é cada um falando por si! Conheça um pouco do universo de cada artista, no Papeando.

—–

Luiz Antonio Aguiar nasceu no Rio de Janeiro. É Mestre em Literatura Brasileira pela PUC-RJ. Sempre gostou de ler e, por muito tempo, ganhou a vida escrevendo roteiros para histórias em quadrinhos e pocket books de faroestes. O autor realiza oficinas de leitura em diversos estados brasileiros, e também é um dos fundadores da Associação dos Escritores e Ilustradores de Literatura Infantil e Juvenil (AEILIJ). Já ganhou diversos prêmios, como um Jabuti (1994), menções Altamente Recomendável da FNLIJ, o White Ravens (2008), entre outros. Pela Editora Biruta, ele já publicou Brincos de ouro e sentimentos pingentes, O maior mágico do mundo, Bruxas, Beijos e Outros Encantos, Meu Amigo Indiozinho, A Espada Turca e O Baú do Tio Quim; pela Editora Gaivota publicou O Menino e o Grifo. Luiz Antonio diz que gosta muito do nome Biruta: ele se sente em casa.

Agora é com ele:

Quem é Luiz Antonio Aguiar?
Bem, é o marido da Marisa, o avô do Vicente e da Olívia, o cara que escreve histórias para tentar viver mais no mundo (e, aliás, vive disso, é seu ofício), e também, o sujeito que adora cozinhar para a família e os amigos, assistir filmes de todos os gêneros, ficar olhando quadros nos museus por que passa, escutar música de olhos fechados e no escuro, passear a beira do mar (moro no Rio de Janeiro) a pé ou de bicicleta, que lê, lê, lê muito e adora isso, e que torce pelo Flamengo.

O melhor lugar para o surgimento de riscos e rabiscos é…?
Dentro da minha cabeça, quando estou lendo algum livro que me tira do mundo.

O melhor amigo criado por você?
Bem, dos meus personagens, um que eu gostaria de ter como amigo é o Marciano, do meu primeiro livro, Tristão as aventuras de um menino da cidade grande. Ele é um sujeito que mora em Marte e que vem à Terra visitar os amigos numa motoneta galáctica que solta espuma colorida. É um cara divertido pacas.

Uma viagem inesquecível seria nas páginas de qual livro?
Ah, seria no A chave do Tamanho, o livro mais importante da minha vida. E dali, pegava uma esticada até Os doze trabalhos de Hércules.

Qual é seu companheiro favorito de aventuras?
Meu laptop. Brincadeira… São o Vicente e a Olívia. A gente decola!

Escrever um livro é…
Medo antes. Entrega durante. Vontade de escrever outro depois.

Se não inventasse mundos e personagens, o que Luiz Antonio Aguiar faria?
Bem, ia viajar mais com a Marisa, babar mais meus netos… E quem sabe eu abriria uma livraria-restaurante?

Por que literatura para os pequeninos e jovens?
Porque, entre uma ponta e outra da vida, tem muitos momentos em que a gente se sente repleto de satisfação de viver.

Onde fica/o que faz quando busca inspiração?
Geralmente, me cerco de coisas – livros e filmes principalmente – que tenham a ver com o que quero escrever. Eu tenho que me concentrar na tal coisa, entrar… daí é que escrevo.

A melhor página em branco é…
Aquela do final dos livros, para fazer número. Tem tantas impressas até chegar nela…

 

Compartilhe ...

E deixe seu comentário!

Deixe uma resposta

Desenvolvido por Miguel Medeiros