25 de junho de 2015

Papeando com o Heitor

Esse garoto fez o que muitos leitores já desejaram: encontrar pessoalmente os personagens de seus livros favoritos.

Todos os detalhes estão lá no livro Os meninos da biblioteca, que será lançado no dia 30/06, em São Paulo. Enquanto você se prepara para esse grande lançamento, conheça um pouco mais sobre o jovem (Le)Heitor, com quem papeamos essa semana.

 

Oi Heitor, tudo bem? Estamos muito empolgados aqui na editora com o lançamento do seu livro. Você está ansioso? Como está se preparando para essa data especial?

Estou muito feliz pelo meu livro e contente em saber que vocês estão empolgados, e também gostaram muito dele. Estou ansioso demais! Não vejo a hora de chegar o dia do lançamento, mas também fico preocupado, achando que não vai dar tempo de organizar o evento. Nesses casos, uso uma dica que a Narizinho me ensinou, que conto no livro. Na semana passada fizemos o lançamento no Salão do Livro da FNLIJ, no Rio de Janeiro, foi ótimo, conversamos com as crianças e os jovens sobre o livro, e eu encontrei muitos amigos.

Sabemos que você gosta muito das bibliotecas. Você as visita com qual frequência? Como se sente quando está lá dentro, rodeado por milhares de livros, personagens, histórias e cenários?

Pelo menos uma vez por semana eu visito uma biblioteca, tem duas que vou com mais frequência; a Anne Frank, que é a biblioteca do meu bairro, minha primeira biblioteca e personagem do meu livro; e a Monteiro Lobato, que fica na região central de São Paulo, num prédio antigo e muito bonito. Também vou com certa frequência à Mário de Andrade, que eu gosto muito, onde será o lançamento do livro. A Mário de Andrade tem o segundo maior acervo do Brasil, só “perde” para a Biblioteca Nacional, do Rio de Janeiro. Eu adoro estar numa biblioteca, é o lugar onde me sinto mais feliz.

Já conheceu alguma de outro estado do Brasil?

Além dessas três bibliotecas que vou com frequência, já conheci outras que ficam na minha cidade; a Hans Christian Andersen, do bairro do Tatuapé; a Viriato Corrêa, da Vila Mariana; a Alceu Amoroso Lima, de Pinheiros; a Mário Schenberg, da Lapa; e a biblioteca comunitária Caminhos da Leitura, de Parelheiros, que é administrada pelos meus amigos escritureiros. Quero conhecer outras, minha meta é visitar todas as bibliotecas da minha cidade. Ainda não conheço nenhuma biblioteca fora da minha cidade, mas um dia vou conhecer.

Em alguma dessas visitas, você chegou a ficar tão concentrado no livro que se sentiu dentro da história?

Muitas vezes em que estou dentro de uma biblioteca e me concentro na leitura de um livro, coisas estranhas acontecem. Às vezes é um simples arrepio, outras vezes, a emoção é mais forte, chego a viajar e entrar, de verdade, nas histórias dos livros. No livro Os Meninos da Biblioteca eu conto direitinho como essas coisas acontecem.

Pelo jeito, você gosta desse envolvimento com lutas políticas, não é? Tem participado de mais alguma recentemente?

Adoro! Depois que participei da luta em defesa da biblioteca do meu bairro, minha primeira luta política, aprendi como é gostoso fazer parte dessas coisas. Além de descobrir e lutar pelos meus ideais, faço amigos, pessoas que pensam como eu e que estão dispostas a lutar para defender suas ideias. Sim, tenho uma nova luta.
Acompanhei algumas reuniões e participei de plenárias organizadas pelo grupo que está elaborando o Plano Municipal do Livro, Leitura, Literatura e Biblioteca, o PMLLLB da minha cidade. Já chegamos à etapa final, o Projeto de Lei está sendo concluído e
será encaminhado para votação na Câmara Municipal. Se for aprovado, a cidade de São Paulo terá um plano para incentivar a leitura e melhorar o acesso ao livro!

Em Os Meninos da Biblioteca você narra sua amizade com o Boka, personagem do livro Os meninos da Rua Paulo. Viveram mais aventuras juntos?

Sim, vivemos outras aventuras, muitos podem não acreditar, mas eu conheci a rua Paulo, e toda a turma do Boka, e ainda aprendi a jogar pela, um jogo muito popular em Budapeste. Mas isso vou deixar pra contar em outra oportunidade, em detalhes.

O que os personagens da sua história acharam do nome que você e o Lipe escolheram para o livro?

Todos adoraram! Só um estranhou no início, e vocês sabem que é (rs rs rs), mas depois eu expliquei direitinho e ele acabou gostando, também.

Esse ano você pretende ir à FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty), pra mostrar seu livro aos amigos e conhecidos que fez lá nas últimas edições?

Esse ano meus pais não podem me levar, disseram que “a gente não tem tudo na vida” – os pais sempre dizem essas coisas. Mas me prometeram que no ano que vem a gente vai. “Vamos trabalhar bastante a divulgação do seu livro por aqui, e quem sabe, no próximo ano seja melhor”. Vou combinar com… (vocês sabem quem rs rs rs) e ver se ela topa ir no ano que vem. O duro vai ser controlar a ansiedade de esperar o próximo ano, vou ter que usar bastante a dica da Narizinho.

Falando em amigos, quem já leu o seu livro deve ter ficado com uma pulga atrás da orelha sobre um assunto meio pessoal. Você já pensa em namorar, Heitor?

Penso sim… E sabe que já avancei em alguns aspectos que contei lá no meu livro, mas isso eu não posso falar agora, vou contar em outra oportunidade, como vocês disseram, é um assunto meio pessoal.

Ah, ficamos sabendo que você tem um blog, o Blog do Le-Heitor – conte para os nossos leitores o que escreve por lá. :)

Sim, eu tenho um blog e devo muito a ele. Foi com ele que consegui realizar um sonho, virar personagem de livro. No meu blog eu escrevo sobre os livros que leio, os escritores que descubro e conheço, os amigos e passeios literários que faço. Em todos os posts o assunto sempre parte de um livro, é tipo um blog literário.
Ultimamente tenho escrito com menos frequência, com essa correria do lançamento, não tenho tido cabeça pra escrever. Nesta semana quero publicar um post falando um pouco do lançamento no Salão da FNLIJ, divulgar o lançamento na Mário de Andrade, e dizer que estou muito feliz com o livro, apesar de estar sofrendo de certa crise de identidade. Vou explicar tudinho lá no blog.

Os-meninos-da-biblioteca_1

Compartilhe ...

E deixe seu comentário!

3 respostas para “Papeando com o Heitor”

  1. Ana Lucia disse:

    Muito boa essa entrevista!

    Fiquei ainda mais curiosa para ler o livro.

    Essa figura do quarteirão da biblioteca ficou demais !!!

    Ana Lucia

  2. […] a ajuda do Heitor, personagem do livro Os meninos da biblioteca, fizemos uma lista com 5 bibliotecas infantis da […]

Deixe uma resposta

Desenvolvido por Miguel Medeiros