6 de outubro de 2014

O dia em que Milu Leite apareceu no papeando

Ela é Paulista, mas mora em Florianópolis desde 1999. Jornalista e escritora, gosta da área de cultura e comportamento, mas já publicou alguns contos infantis. Recentemente, descobrimos que também gosta de mistérios. Vamos conversar um pouquinho com a autora do livro O dia em que b apareceu?

 

Quem é Milu Leite?
Ah, isso é pergunta difícil de responder. Quem é que sabe quem é? Dizem que sou agitada, estou sempre de um lado pra outro. Aqui em Floripa existe uma expressão bem engraçada pra falar de gente assim: “tem um pé que é um leque!” Pois eu tenho dois. Quando não faço nada, durmo e sonho que estou fazendo. Acordada, faço várias coisas: escrevo, dou aula, canto, danço, vou à praia. Vivo do jeito que gosto.

O melhor lugar para o surgimento de riscos e rabiscos é…?
Rabisco muito dentro de mim mesma. Às vezes, o rabisco começa no peito, outras na mente. Mas se rabisco por fora, faço isto até em guardanapo de papel.

O melhor amigo criado por você?
O Tobias, cachorro que tem papel muito importante nos dois livros que publiquei até o momento. Mas acho que ele vai perder o lugar para a menina Nawar, personagem de uma história que estou escrevendo.

o dia em que b apareceu_tobias

Uma viagem inesquecível seria nas páginas de qual livro?
Hummm, de muitos livros! Todas as que Emília fez nas histórias de Monteiro Lobato, por exemplo.

Qual é seu companheiro favorito de aventuras?
Minha imaginação e todos os meus segredos. Não há aventura que eu faça sem eles.

Escrever um livro é…
Inventar, rir, chorar, errar, acertar, duvidar, encontrar o melhor e o pior, descobrir muito sobre mim, pensar sobre os outros. Revelar tudo isso por meio das palavras.

Qual é a parte mais legal desse processo (desde o surgimento da ideia até a publicação)?
Eis aí outra pergunta complicada. Gosto de todo o processo. Mas tudo se completa com a publicação, não é mesmo? Ela vai finalmente abrir caminho para algo muito desejado: a troca com o leitor.

Se não fizesse reportagens ou inventasse mundos e personagens, o que Milu faria?
Eu ia gostar de ser cantora. Adoro música e tudo o que ela gera. Mas escrever é o que mais me realiza.

Onde fica/o que você faz quando busca inspiração?
Ichhh. Não tem lugar certo pra isso, não. A inspiração já me pegou em um banho de mar, numa garfada de comida, no chuveiro, na cama, no jardim, no saguão do aeroporto. O que me inspira são as pessoas, as situações, os cheiros, as cores.

A melhor página em branco é…
Aquela que eu vou preencher um dia qualquer. Uma página em branco é um desafio muito bem-vindo.

 

milu leite

Compartilhe ...

E deixe seu comentário!

Deixe uma resposta

Desenvolvido por Miguel Medeiros