29 de abril de 2013

Povo Luo

Região que habitam: Quênia, Tanzânia e Uganda, proximidades do lago Vitória (Nyanza).

Conhecidos como o povo dos rios e lagos – constroem suas casas em elevações, para protegê-las das fortes chuvas de época que judiam da savana.

Vivem da pecuária, pesca e agricultura – estações marcadas pela seca e pela chuva.

Rica literatura oral – a história do livro é um conto que passa de geração para geração entre o povo.

maos tatuagem

A TATUAGEM E A PÍTON

Pensar na África, muitas vezes, é fazer com que a mente viaje para os grandes tapetes de grama verdinha que recobrem as savanas, povoadas por tudo quanto é tipo de bicho.

A etnia Luo pode ser encontrada em toda a região do Quênia, Tanzânia e Uganda, e seu grupo linguístico é falado por cerca de três milhões de pessoas. Esse povo vive da pecuária, da agricultura e da pesca – e ganha boa parte de seu dinheiro vendendo um peixe chamado tilápia. Apesar de se instalarem por longos períodos de tempo em um mesmo lugar, é comum que se movimentem a procura de novas pastagens para seus rebanhos.

Esse povoado, apesar da abundância de bens naturais, sofre muito com o clima da região. As estações são marcadas rigorosamente ora por épocas de extrema seca, ora por períodos de chuva em demasia. Duany, personagem principal do livro A Tatuagem – reconto do povo Luo (Editora Gaivota), de Rogério Andrade Barbosa, e com ilustrações de Maurício Negro, nasceu sob essas condições ariscas.

A tatuagem, apesar de ter sido popularizada apenas nas últimas décadas, já é uma tradição muito antiga. Ela era passada de geração a geração, por exemplo, nos costumes do povo Luo. Quanto mais tatuagens a menina tivesse na época de casar, maior era o despertar do interesse dos meninos e pretendentes. Duany fez a sua primeira aos sete anos de idade. Com quinze anos, pronta para casar, já tinha gravados em sua pele, diversos pequenos desenhos.

Ansiosa para fazer mais uma bela tatuagem com um novo tatuador que havia chegado à vila, Duany marca com suas amigas de irem juntas até o baobá onde ele estava. Porém, a menina acorda tarde, e perde a carona no grupo das amigas. Sozinha, então, ela tem que atravessar todo o povoado para conseguir o que tanto deseja. No meio do caminho, contudo, ela dá de cara com uma serpente píton gigante, que lhe faz uma proposta irrecusável para deixá-la ir embora em paz.

E vocês, já conheciam o povo Luo e alguns de seus costumes?

Compartilhe ...

E deixe seu comentário!

Deixe uma resposta

Desenvolvido por Miguel Medeiros