3 de novembro de 2014

A lenda do Saci

Saci-Pererê, Matimpererê, Matintaperera, Saçurá… Você já ouviu algum desses nomes?

Independente do que é mais conhecido pelo Brasil afora, todos se referem a um só personagem: o Saci, personagem famoso aqui na Biruta e na Gaivota. Já apareceu nos livros O Saci Epaminondas, Histórias Mal-assombradas em volta do fogão de lenha e Mistérios da Pindorama.

Esse personagem do nosso folclore tem fama de ser travesso e vive pregando peças nas pessoas. Apesar de ter muitas informações diferentes sobre sua origem e como é visto pelo mundo, o Enciclopédia Biruta vai contar pra você um pouco do que descobrimos com os livros de Alan Oliveira, Adriano Messias e Marion Villas Boas.

O Saci usa gorro vermelho, fuma cachimbo e nasce dentro de um broto de bambu, porque tem só meio metro de altura. Nunca se apega a um lugar só e faz parte da vida dele ficar mudando de casa toda hora. Sem o gorro, não tem poder nenhum e fica sob o comando de quem o capturou.

Antes, quando só os índios moravam aqui, o Saci era um passarinho travesso, de corpo pardo, peito claro e topete vermelho. Depois que o Brasil foi descoberto pelos portugueses e os homens brancos trouxeram os escravos negros para trabalhar, ele foi transformado em gente, num menino negro cheio de poderes. Hoje em dia, alguns avôs e avós contam para os netos que ele tem uma perna só e as palmas das mãos furadas. Seus olhos são brilhantes  e vivos como os de uma cobra. Costuma assobiar antes de aparecer rodando sobre si próprio como um pião, formando um redemoinho. 

Tem gente que diz que ele faz as coisas por maldade, mas a verdade é que o saci adora travessuras, como trançar a crina dos cavalos, apagar o fogo do fogão, azedar o leite, assustar as galinhas, derrubar as panelas no chão da cozinha e soprar o chapéu dos viajantes. Uma de suas muitas características é comandar um exército de pulgas e pernilongos para atazanar os humanos. Quando esses bichos aparecem em grande quantidade, principalmente na época das chuvas, dizem que foi obra do Saci.

Já aconteceu alguma vez de você procurar um objeto pela casa toda, e depois achá-lo num lugar bem visível? Também dizem que essa é uma das pegadinhas do Saci, que adora encontrar pessoas distraídas.

Quando encontra alguém na mata, costuma pedir fumo para seu cachimbo. E ai de quem não tiver! Ele é capaz de fazer a pessoa errar o caminho e se perder por um bom tempo.  A voz dele, não sabemos como é. Mas ele costuma gritar sempre a mesma frase: “Saci-Pererê, minha perna dói como o quê!”.

Mas, no fundo, ele não quer fazer mal a ninguém. Só usa seus poderes com os inimigos, principalmente contra quem não respeita a mata e seus habitantes. Saci é amigo de quem vive e trabalha na mata.

O único jeito de capturá-lo é usando uma peneira ou uma rede. Mas não nos pergunte porque. Existem coisas que apenas os sacis podem saber.

Mistérios da Pindorama_saci

Compartilhe ...

E deixe seu comentário!

Deixe uma resposta

Desenvolvido por Miguel Medeiros