14 de julho de 2014

A resposta da Professora Denise

O autor da vez está incrivelmente divertido!

A blogueira Camila Loricchio, do blog Castelo de Cartasacabou de ler o livro Odisseia de Homero (segundo João Vítor) e aproveitamos o momento para propor a seguinte atividade: escrever uma suposta resposta que a professora Denise daria ao João Vítor, depois de receber a cômica resenha sobre o livro. Ela topou o desafio e não só seguiu a linha de raciocínio do personagem, como se superou na criatividade. Quer ver como ficou?

 

Odisseia de João Vítor pela Nota da Professora Denise (por João Vítor, de novo)

Fumaça! Como assim quem é, Fumaça? Sou eu, ué… o João Vítor! Que João? Sim, eu sei que você disse que não ia mais falar comigo se não te pagasse, mas é que ainda acho que esse valor tá meio superfaturado e… Tá, tá bom… Eu vou te pagar! Juro! Agora posso ir direto ao ponto? Como assim, não quer saber de nenhum ponto que não seja o pagamento? Ah, deixa disso, Fumaça! Eu sou teu amigo!… Chega. Deixa eu falar de uma vez, estou querendo te contar o que aconteceu de incrível esta tarde! Entreguei o trabalho injusto de recuperação para a professora Denise… Sim, eu sei que você estava lá, mas o que eu quero contar aconteceu depois.

Enquanto a gente fazia aqueles exercícios, ela ficou lendo o trabalho, e… Sim, eu ainda sei que você estava lá, vai me deixar falar? E ela pediu pra ficar depois do sinal. Já estava esperando os elogios pelo trabalho de recuperação mais completo que ela já lera, contando todos os causos do Ulisses Poodle e o bebê chorão do filho dele, pronto para ouvir que realmente Homero da Silva tinha escrito muito mal aquela cantoria toda quando… Eu sei que tá tarde, Fumaça, poxa vida, tenha educação para ouvir as histórias dos amigos, poxa!

Voltando, quando a professora Denise me chamou na mesa dela e sem levantar os olhos do trabalho, me disse: “O que é isso, João Vítor?” Respondi que obviamente era o trabalho de recuperação. “Homero da Silva?” E não era? O autor mal quis colocar o sobrenome para não identificarem ele, queria que eu fizesse o quê? “Eu… não sei exatamente o que dizer desse trabalho, João Vítor. Você precisava fazer uma resenha, uma simples resenha da Odisseia de Homero…” “da Silva, professora Denise” Ela não pareceu muito feliz com a interrupção, mas continuou. “da Odisseia de Homero, e me trouxe isso. Eu não sei o que fazer com sua nota.” Respondi que era só dar a nota que um trabalho incrível daqueles merecia, entendi que ela ficou surpresa com tamanha qualidade e não sabia como reagir, então esperei uns instantes e me veio a solução. “Professora Denise, quem fez o trabalho inteiro fui eu, se fosse o bebê chorão do Telêmaco teria pedido ajuda a Atena, mas eu, João Vítor, não precisei.” “Não precisou?” “Não.” “Mas é uma pena, João Vítor… ela era a única que poderia te ajudar agora.” E então… Fumaça, presta atenção! Tá ouvindo?

“João Vítor, quando eu digo que não sei o que fazer com sua nota, é porque… eu não tenho como entregar isso pra direção arquivar.” Aí ela fez uma pausa meio estranha. “E quando eu digo que apenas Atena pode te ajudar…” E aí, Fumaça: Ela se transformou numa mulher com uns lençóis enrolados que nem os do livro, Fumaça! E veio com um papinho de que era Atena e ia me ajudar com a nota! Não, tô falando sério, aconteceu mesmo. E ainda veio com uma história assim: “Estou ajudando um escritor, ele precisava divulgar a história da Odisseia, e posso precisar de sua ajuda, você me emprestaria seu trabalho?” Comentei que era meio estranho, e enquanto eu pensava, ela se transformou num homem meio descabelado e disse que era um tal de Gustavo Piqueira. “Esse é o autor a quem estou ajudando, João Vítor. Seu trabalho seria divulgado pelos sete ventos que Ulisses percorreu. Então, concorda?” Claro que eu concordei, ainda estava meio encanado com as transformações da professora Denise, nem sabia se podia chamá-la mais de professora Denise, mas concordei.

Como não acredita em mim? Eu tirei a nota não tirei? Então!

 

 

Parabéns, Camila! Nota 10 pra você!

 

Quer participar do nosso autor da vez também? É muito simples!

Visite nosso site e escolha um dos livros que você já leu. Use toda a criatividade e crie sua própria versão para a história.

Quando terminar, é só mandar o texto para o e-mail blog@blogbirutagaivota.com.br e esperar, pois dentro de alguns dias publicaremos aqui no blog!

Compartilhe ...

E deixe seu comentário!

2 respostas para “A resposta da Professora Denise”

  1. Jeferson disse:

    Poxa, que menina brisada não? Mas com talento de sobra pra escrever… :)

  2. […] Então, corre aqui e confere as brisas dessa Odisseia de João Vítor pela Nota da Professora Denise (por João Vítor, de novo) […]

Deixe uma resposta

Desenvolvido por Miguel Medeiros